Promotora recomenda que Prefeito de Goiânia não repasse R$ 68 milhões à Comurg

A promotora de Justiça, Leila Maria de Oliveira, recomendou ao prefeito de Goiânia, Rogério Cruz (Republicanos), que não sancione o projeto de lei que autoriza o repasse de R$ 68 milhões à Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg) para a integralização do capital social. A proposta foi aprovada pela Câmara de Vereadores na terça-feira, 21 por 21 votos a favor e cinco contra.

A promotora destaca que os recursos são de R$ 50 milhões e que devem ser divididos proporcionalmente entre os acionistas: Prefeitura de Goiânia com 97,02%, Saneago com 4,92% e Ipasgo com 3,67%.

Na recomendação, ela ainda destaca que o valor aprovado pela Câmara é excesso ilegal de aporte a uma companhia dependente do poder público.

Além dos valores, a promotora Leila alertou que não há informações sobre onde o dinheiro será empregado e por fim, recomenda que a prefeitura apresente um novo projeto de lei com as adequações necessárias e de acordo com os limites legais para a integralização do capital social da Comurg do que resta por parte do executivo que é de R$ 13,4 mi.

Continue Conectado