Dono de postos de combustíveis de Goiás é preso por integrar esquema de fraudes em banco

O dono de uma rede de postos de combustíveis de Goiás foi preso suspeito de integrar um grupo criminoso investigado por fraudar pagamentos de guias de arrecadação por meio de códigos PIX, adulterados. O esquema causou prejuízo de R$ 21 milhões ao Banco do Brasil.

O delegado Eduardo Fabbro, responsável pela investigação, afirma que o goiano era um dos responsáveis pela lavagem de dinheiro que acontecia em seus postos de combustíveis. As fraudes foram cometidas entre os dias 7 e 31 de janeiro de 2023.

A polícia teve acesso a imagens que mostram o empresário comemorando o sucesso das fraudes em um estabelecimento de Goiânia.

A investigação mostrou que o grupo inseria códigos de barras de boletos verdadeiros de prefeituras do Brasil, mas adulteravam o QR Code de PIX para o banco receber valores menores.

A operação foi deflagrada pela Polícia Civil do Distrito Federal, mas os agentes cumpriram 10 mandados de prisão e 19 de busca e apreensão no Distrito Federal, São Paulo, Rio de Janeiro, Mato Grosso, Santa Catarina, Minas Gerais, Bahia, Maranhão, Amapá e Goiás. Dinheiro em espécie, armas, computadores e celulares foram apreendidas.

Em nota, o Banco do Brasil informou que as investigações iniciaram a partir de apuração interna que detectou irregularidades.

“O Banco do Brasil colabora com as autoridades na investigação de fraudes com o repasse de subsídios no seu âmbito de atuação e possui processos estabelecidos para apuração de fraudes contra a instituição. “, diz a nota.

Continue Conectado