Saúde notificou 63 casos de malária em Goiás este ano

A Secretaria da Saúde de Goiás (SES-GO) alerta para a necessidade de um monitoramento constante no combate à malária, após notificar 63 casos da doença no Estado neste ano, com 19 casos confirmados.

Embora todos os casos sejam considerados “importados”, originados de pessoas que viajaram para áreas como a região Amazônica, a Secretaria está implementando medidas para erradicar a doença.

Em 2023, após três anos sem registros locais da doença, foram confirmados três casos, um dos quais resultou em óbito. Para combater a doença, a pasta está capacitando profissionais de saúde para garantir o diagnóstico e tratamento precoces. 

A malária é uma doença infecciosa febril aguda, transmitida pela picada do mosquito infectado pelo protozoário do gênero Plasmodium. Os sintomas incluem febre, calafrios, cefaleia, sudorese, mialgia, náusea e vômitos, podendo variar de leve a grave.

O diagnóstico é realizado por meio de testes rápidos e análise microscópica de lâminas de sangue, sendo o Laboratório Estadual de Saúde Pública Dr. Giovanni Cysneiros (Lacen-GO) a referência para diagnóstico em Goiás.

Os medicamentos para tratamento estão disponíveis pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e grande parte dos atendimentos é realizado pelo Hospital Estadual de Doenças Tropicais Dr. Anuar Auad (HDT).

A doença pode ser prevenida por meio do uso de repelentes, proteção das áreas do corpo expostas, uso de mosquiteiros sobre a cama e evitar locais próximos a criadouros naturais de mosquitos, como beira de rio ou áreas alagadas.

 

Compartilhe:

Continue Conectado