Operação investiga suposto esquema de corrupção em órgãos da prefeitura de Goiânia

A Delegacia Estadual de Combate à Corrupção (Decor), realiza na manhã desta quarta-feira, (20), uma operação para investigar um possível esquema de fraudes em órgãos da prefeitura de Goiânia. Ao todo, são cumpridos 32 mandados de busca e apreensão, sendo 25 contra pessoas físicas, quatro mandados em sedes de órgãos municipais e três em sedes de empresas. 

A operação tem como objetivo apurar crimes de fraude em licitações, modificação irregular de contratos, peculato, constituição de organização criminosa, corrupção ativa e passiva. A justiça autorizou ainda o afastamento dos sigilos bancários e fiscais de 29 investigados, além da suspensão dos contratos com suspeitas de fraudes. A operação conta com 160 policiais civis e oito peritos criminais. 

A Polícia Civil aponta que os crimes eram cometidos na Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg), Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana (Seinfra), Secretaria Municipal de Administração (Semad) e Agência Municipal do Meio Ambiente (Amma). Segundo as investigação, haviam dois núcleos nos possíveis crimes: um com os sócios das empresas apontadas por práticas ilegais e outro com servidores públicos responsáveis por licitações e contratos supostamente fraudados. 

Por nota, a prefeitura de Goiânia declarou que colabora com as investigações da Polícia Civil e está contribuindo com o acesso de equipes de policiais aos locais que estão sendo visitados para coleta de equipamentos ou documentos. A prefeitura aguarda mais informações sobre a investigação para novos esclarecimentos mas reforça que tem compromisso com a transparência pública e acredita que os fatos serão elucidados pela polícia

Continue Conectado