Goiás resgatou 739 pessoas vítimas de trabalho escravo em 2023

O Estado de Goiás resgatou 739 pessoas em situações análogas à escravidão em 2023, sendo o primeiro estado brasileiro na posição. Os números são Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) divulgados no dia 10 de janeiro. Na segunda e na terceira posições aparecem, respectivamente, Minas Gerais e São Paulo.

O dia 28 de janeiro é lembrado no Brasil como o Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo. A data, instituída pela Lei 12.064/2009, homenageia quatro trabalhadores do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) assassinados em 2004 durante uma fiscalização do trabalho em fazendas da região de Unaí (MG) e chama a atenção da sociedade para o problema do trabalho escravo no país.

Passados 20 anos da chacina de Unaí, o trabalho em condições semelhantes à escravidão ainda persiste em nosso país apesar dos esforços concentrados de vários órgãos.

Em Goiás, o Ministério Público do Trabalho (MPT) integra o Grupo Interinstitucional de Fiscalização Móvel, que tem reunido as condições, competências e ferramentas adequadas para se combater o trabalho análogo ao de escravo.

As denúncias sobre trabalho em condições análogas à escravidão podem ser feitas pelo Sistema Ipê, lançado em 2020 pelo MTE em parceria com a OIT, pelo site do MPT, no Disque 100, ou telefones da ouvidoria do Tribunal Regional do Trabalho pelo (62) 3222-5680 e 0800 644 0018.

Compartilhe:

Continue Conectado