Família lamenta adiamento do julgamento do suspeito de matar estudante Jehan Paiva

A família de Jehan Paiva, que foi morto durante uma festa ocorrida no dia 7 de junho de 2013, lamenta o adiamento do júri que iria julgar, o estudante universitário, Paulo Victor Sousa Gomes, que é acusado de ter ferido Jehan com um canivete. O crime aconteceu durante um evento festivo universitário, em Anápolis.

Após dez anos de aguardo, a família da vítima que se reuniu no fórum, junto com amigos de Jean e vários colegas de faculdade, tinha a expectativa da realização do julgamento que estava marcado de ocorrer nesta terça-feira, 7, mas foi adiado por causa da ausência do advogado de defesa do réu e também da não presença de uma integrante do Ministério Público.

A promotora que estava escalada para atuar no Tribunal do Júri alegou que na mesma data do referido julgamento havia um outro júri que precisa de atuação prioritária da promotoria.

Já a defesa do acusado apresentou um atestado médico e justificou problemas de saúde na data do julgamento.

Com isso, a magistrada que presidia o júri adiou o julgamento que foi marcado para ocorrer no dia 25 de março de 2024.

Compartilhe:

Continue Conectado