Advogada comprou veneno que matou família do ex-namorado, diz polícia

A advogada Amanda Partata comprou pela internet o veneno que matou o ex-sogro Leonardo Pereira Alves, e a mãe dele, Luzia Tereza Alves, no dia 17 e madrugada de 18 de dezembro, em Goiânia. A informação foi divulgada durante coletiva à imprensa nesta sexta-feira, 29.

Imagens de câmara de segurança do hotel em que Amanda ficou hospedada, mostra que a suspeita recebeu o veneno dentro de uma caixa de papelão um dia antes do crime. Segundo a Polícia Civil, o registro chegou aos investigadores graças a um motorista de aplicativo que fez a entrega da encomenda. Ele afirmou aos policiais que havia levado para a advogada uma caixa de uma indústria química e farmacêutica, uma medicação comprada em um site.

A polícia comprovou que a substância comprada no site e a nota fiscal era registrada no nome, CPF e endereço de Amanda. A compra foi realizada no dia 08 de dezembro, mesma data em que Amanda troca mensagens com o ex-namorado, Leonardo Filho, perguntando o que ele tinha mais medo, morrer ou perder a família.

Segundo o delegado Carlos Alfama, da Delegacia de Investigação de Homicídios (DIH), a motivação do crime foi para causar sofrimento no ex-namorado. Ainda de acordo com o delegado, no primeiro depoimento a mulher ficou nervosa, o que causou estranhamento dos investigadores. Ela também negou entregar o celular quando o delegado pediu para verificar o histórico do aplicativo de transporte.

Amanda Partata irá responder por duplo homicídio e tentativa de homicídio.

Continue Conectado